BRASIL: Empresários debatem mercado, concorrência e a competição - Radio World

BRASIL: Empresários debatem mercado, concorrência e a competição

Participaram do encontro Top 10 mais de uma centena de radiodifusores
Author:
Publish date:
Image placeholder title
Image placeholder title

A concorrência na comunicação, práticas comerciais entre anunciantes e veículos, situação econômica do país e o mercado publicitário foram temas abordados durante o Top 10, encontro transmitido pelo portal de ensino à distância da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (AERP), com o apoio da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (ABERT).

Participaram do encontro mais de uma centena de radiodifusores, que debateram com executivos das emissoras de Curitiba, Paraná, como lidar com a concorrência em um mercado tão competitivo.

Entre os participantes do Top 10, o presidente da AERP, Márcio Villela; o diretor executivo da rádio Banda B, Michel Micheleto; o diretor executivo da Massa FM, Luiz Benite; o diretor da Transamérica FM Curitiba, Rogério Afonso; e o diretor da unidade de rádios no GRPCOM, João Santos.

Image placeholder title

Márcio Villela, presidente da AERP No encontro, debateram-se os números de um estudo sobre o panorama atual do rádio em Curitiba. De acordo com o levantamento, 51 por cento das pessoas que ouvem rádio na capital do Paraná consomem notícias, o curitibano escuta rádio, em média, duas horas por dia, e 67 por cento das pessoas ouvem o rádio enquanto estão no carro.

A pesquisa mostra, também, que das pessoas que ouvem rádio usando a Internet, 75 por cento escutam pelo computador, 23 por cento pelo celular e 8 por cento pelo tablet via aplicativo das emissoras.

Para Villela, o fortalecimento e a ampliação do setor passam por debates como o do Top 10, com a troca de ideias entre as emissoras da cidade. Em seu entendimento, não foi fácil conciliar as diferenças entre as empresas e o histórico desgastado de competição.

O presidente da AERP afirmou que todos entendem que é preciso olhar para o futuro. Sua conclusão é a seguinte: “A concorrência não deve estar entre nós; somos companheiros profissionais e compartilhamos o mesmo segmento de mercado. Se esse segmento se fortalece, todo o nosso meio ganha. A filosofia tem que mudar rápida e drasticamente”, disse Villela.

— Carlos Eduardo Behrensdorf

Related